Pavimentação da ERS-305 cria novo corredor de transportes e reduz custos logísticos na Fronteira Noroeste do RS

Foto: Divulgação RGS

A velha estrada de chão batido de lindas paisagens naturais,  permeada em alguns trechos por rochas , conhecida como ERS-305, que liga os municípios de Três Passos, Crissiumal e Horizontina, na Fronteira Noroeste,  uma das principais ligações regionais do RS, está perto de ficar apenas na memória da comunidade local.  Com investimento aproximado de R$ 60 milhões do governo do estado, ela  terá os seus  57 quilômetros  totalmente  pavimentados  até abril de 2024.
 Um sonho de mais de 40 anos da região, dona de uma pujante economia formada pela suinocultura, além de produtores de soja, de milho e de outras culturas, é uma via considerada estratégica do ponto de vista logístico de acesso ao Oeste catarinense e ao Médio e Alto Uruguai.

Trechos
A  obra é composta  de  quatro trechos.  Entre Horizontina e Vila Cascata, de 14 km, ela é de responsabilidade de contrato de Conserva do Daer.  Licitada em 2021, ela foi dividida em três  lotes. O lote 1, de 10km, de Vila Cascata em direção a Crissiumal, teve sua licitação vencida pela SBS Engenharia e Construções Ltda., de Porto Alegre. O lote 2 , de 10km, até Crissiumal, teve como vencedor o consórcio SBS-RGS, enquanto lote 3 , de 22,03 km, de Crissiumal até Padre Gonzales, é atendido pela RGS Engenharia.
No momento, segundo informou a SBS, está em execução uma frente de serviço a partir de Vila Cascata em direção a Crissiumal (lote 1) , e outra a partir de Crissiumal em direção a Vila Cascata ( lote 2). Somente a SBS opera com cerca de 50 funcionários diretos e mais de 35 máquinas e equipamentos, entre esses 12 caminhões.
Em relação ao Lote 3,  o engenheiro Bruno Schemmer, da RGS Engenharia, informou que ao menos 25% da obra estão completados , com previsão de conclusão em 31 de dezembro deste ano.

Incidência de pedras
Ao todo, a RGS deslocou para a obra  43 colaboradores diretos e cerca de 20 máquinas. Estrada  de chão batido, o trecho em execução é de alta complexidade, dada a alta incidência de pedras, o que exige equipamentos maiores e mais pesados, relatou Schemmer. Além disso, observou, como é uma estrada permeada de muita vegetação há necessidade de desmatamento, o que afeta o  tempo de serviço.
A ERS-305 terá pista de rodagem com largura de sete metros e acostamento de dois metros. A área de domínio do Daer é de 15 metros, para ambos os lados, a contar do eixo central da pista.
Segundo dados da autarquia, o sistema rodoviário do RS comporta 11.435,50 Km, dos quais 3.336,97 km, correspondente a 19,39% da malha estadual, ainda são de chão batido, o que inclui estradas vicinais, acessos municipais e ligações regionais.