Pavesys Engenharia, de Porto Alegre, pilota projeto que introduz a metodologia iRAP, de segurança nas rodovias, na malha federal do DNIT

Um dos países com maior número de mortes no trânsito, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil vem intensificando suas ações a fim de reduzir o número de acidentes causados por estradas de alto risco. Desde 2021, está em execução pelo Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT) o programa BrazilRap, que introduz a  metodologia iRAP da sigla em inglês International Road Assessment Programme, de avaliação da qualidade de rodovias, especificamente no quesito segurança viária.


O consórcio Engefoto Aerolevantamento de Curitiba e Pavesys Engenharia, de Porto Alegre, em 2021 foi contratado para desenvolvimento do projeto, no qual é utilizado um veículo equipado com sensores e câmeras adequados para um levantamento em toda a malha federal administrada pelo DNIT. Em paralelo,  dados de campo são processados pela equipe de codificadores que avaliam mais de 70 elementos em imagens georreferenciadas a cada seção de 100 metros de via, que caracterizam desde a geometria à condição de sinalização.

Uma vez finalizadas essas etapas, inicia-se a análise das codificações geradas pelo estudo através do software Vida e atribui-se um nível de classificação de segurança das rodovias, através de uma graduação por estrelas que vai de 1 a 5, conhecido pela sigla SRS  ( Star Rating Score).

Uma rodovia em condição precária impacta de maneira relevante em todos os aspectos de uma gestão, tanto em nível operacional quanto no planejamento, diz o diretor geral da Pavesys Engenharia, Fernando Pugliero. “Aumento de acidentes com mortes e feridos graves, tráfego lento e exposição são as suas principais consequências”.

mapa5-2.jpg

 Além da metodologia para a redução de mortos e feridos no trânsito, o  iRAP também possui o  papel de promover boas práticas na área de segurança viária em termos culturais de planejamento, acrescenta.

De acordo com pesquisa que avaliou resultados produzidos pelo programa ao longo de sua existência, a metodologia pode aferir que a melhora no nível de classificação das rodovias, foram reduzidos pelam metade os custos das fatalidades e lesões graves, além do risco de mortes.  Além disso, pode-se calcular o valor de benefício presente para cada rodovia, em que o conjunto de contramedidas foi executado.


Análises preliminares, observa Pugliero,  apontam que atualmente metade da malha federal apresenta condição de regular à boa,  com uma classificação média de 3 estrelas na metodologia iRAP. “O estudo do BrazilRAP está em andamento e, em breve, os resultados serão divulgados na íntegra. Aliás, os levantamentos e o plano de investimentos gerados serão balizadores dos novos esforços para cumprimento das metas assumidas junto a ONU, no comprometimento de promover vias mais seguras”.

 O diretor geral da Pavesys Engenharia, ressalta que as recentes mudanças nos Planos de Exploração de Rodovias  ( PER) promovido pelos órgãos competentes, incluindo a metodologia do iRAP no plano de Estudo de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental ( EVTEA) de forma obrigatória para novas concessões,  é um avanço que amplia as discussões sobre o tema segurança viária no país.  “ O Brasil tem tomado a dianteira no mundo com aplicação da metodologia iRAP em concessões e isso se traduz  no melhor uso dos recursos, vias mais seguras, inteligentes e vidas salvas.”

 A Pavesys Engenharia foi fundada no ano de 2001, com a finalidade de auxiliar empresas privadas e órgãos públicos na área de Engenharia de Pavimentos.  Em sua história já realizou mais de 70 mil quilômetros de levantamento de segurança viária com a metodologia iRAP, incluindo DNIT, IFC (novas concessões do estado do Paraná, BR 040, Rodoanel, Nova Dutra e BR 153) e BID (estado de SC), além de concessionárias como Grupo Arteris, Ecosul, Entrevias e Eixo (SP).