Obras da BR-116 completam 10 anos de execução sem estimativa de encerramento

As obras de duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas, do governo federal, ainda não têm estimativa para conclusão. Licitadas em 2012, seu edital foi lançado em julho, de 2010, no Gasômetro, em Porto Alegre, pelo ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e inserida no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Dos nove lotes inicialmente licitados ainda estão pendentes de relicitação os números 6 (km 422,30 ao km 448,50) ,8( km 470,10 ao km 489,00)  e 9 (km 489,00 ao km 511,76) , vencidos em 2012, respectivamente pelas construtoras Pelotense, SBS e MAC/Tardelli e que por determinação do Tribunal de Contas da União ( TCU)  não puderam concluir os trabalhos por  implicarem em acréscimo de verba aos contratos, que extrapola os limites legais mencionados na Lei federal nº 8.666/93 e suas alterações.


Os lotes 1 e 2, vencidos pela Constram (do  km 300,54 ao km 325,00 – e do km 325,00 ao km 351,34) estão sendo construídos pelo Exército. O lote 3 ( km 351,34 ao km 373,22) vencido pela Ivaí, já foi concluído, com exceção do viaduto de acesso a Tapes. Já o lote 4 (km 373,22 ao km 397,20), do consórcio Trier/CTESA, também foi concluído com exceção do viaduto de acesso entre Arambaré e Camaquã.

O lote 5 (km 397,20 ao km 422,30), vencido inicialmente pela Brasília Guaíba/Ribas, foi relicitado saindo vencedora a Planaterra que executou até o momento cerca de 12 km. Já o lote7 (km 448,50 ao km 470,10), vencido pela Sultepa, foi relicitado saindo vencedora a própria Sultepa, faltando executar as alças de acesso do viaduto São Lourenço e ruas laterais.

Para a conclusão da rodovia estava previsto no orçamento do Dnit cerca de R$ 150 milhões que devem ficar aquém do necessário, segundo Nelson Sperb Neto, diretor da SBS Engenharia. “Assim, dificilmente a obra ficara pronta até o final de 2023”.

Com uma extensão de 211,2 km, a rodovia opera hoje com 136,5 km com pista duplicada, o que corresponde a 64,6% do total.  A obra foi contratada a R$ 868,94 milhões em 2012. Pelos cálculos do Dnit, a duplicação será finalizada a valores superiores a R$ 1,3 bilhão.