Modelo brasileiro de concessões será apresentado a  investidores em Nova Iorque

O ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio inicia nesta segunda-feira, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, a apresentação do modelo brasileiro de concessões e o balanço da carteira de projetos do governo federal. O titular da pasta está na cidade para uma série de encontros com o objetivo de atrair mais investimentos privados para o setor. Para 2022, estão previstos R$ 110 bilhões em investimentos contratados e o leilão de 44 ativos.  

Na agenda de 2022, está prevista a sétima rodada de leilões de aviação, com a concessão de 15 aeroportos, incluindo Congonhas (SP), que conta com um dos maiores fluxos de passageiros do Brasil. O aeródromo faz parte de um dos três blocos que formam a rodada. Além dele, integram o grupo os aeroportos de Campo Grande (MS), Corumbá (MS), Ponta Porã (MS), Santarém (PA), Marabá (PA), Carajás (PA), Altamira (PA), Uberlândia (MG), Uberaba (MG) e Montes Claros (MG). O investimento previsto é de R$ 5,8 bilhões.

Os outros dois blocos da rodada são o de aviação geral, integrado pelos aeroportos de Campo de Marte (SP) e Jacarepaguá (RJ), com previsão de investimento de R$ 560 milhões; e Norte II, formado pelos terminais aéreos de Belém (PA) e Macapá (AP), com R$ 875 milhões em investimentos previstos.

No setor portuário, um dos que mais se modernizou e cresceu nos últimos anos, o principal projeto para este ano é a desestatização do Porto de Santos (SP), que seguirá o modelo da Companhia Docas do Espírito Santo ( Codesa).  A iniciativa garantiu mais de R$ 335 milhões em investimentos privados durante a duração do contrato.

Para 2022, estão previstos os arrendamentos de 19 terminais portuários e do Canal de Paranaguá (PR) e as desestatizações dos portos de São Sebastião (SP) e Itajaí (SC). Desde o início da gestão, já foram realizados 37 arrendamentos portuários, que garantiram R$ 6,1 bilhões em investimentos.

Com leilão marcado para 20 de maio, o projeto rodoviário da BR-116/493/465/RJ/MG, entre as cidades do Rio de Janeiro e Governador Valadares (MG), é um dos principais destaques do setor. Ainda estão previstos para este ano os projetos das BR-040/495/MG/RJ, principal ligação rodoviária entre Rio de Janeiro (RJ) e Belo Horizonte (MG), e do anel de integração do Paraná, com mais de R$ 44 bilhões em investimentos. No total, as concessões têm investimento previsto de mais de R$ 80 bilhões.

No setor ferroviário estão previstos 10 mil quilômetros de malha ferroviária, com investimento na ordem de R$ 55,7 bilhões.

Desde 2019, foram leiloados 83 ativos e contratados aproximadamente R$ 100 bilhões em investimentos privados para os quatro modais de transportes, que devem gerar cerca de 1,5 milhão de empregos no decorrer dos contratos.Foram 34 aeroportos, 34 terminais portuários arrendados, seis ferrovias – duas concessões novas, um investimento cruzado e três renovações antecipadas- e seis rodovias. Para 2022, estão previstos R$ 110 bilhões em investimentos contratados e o leilão de 44 ativos. ( Com assessoria de imprensa-Minfra)