LICITAÇÃO MELHOR TÉCNICA OU TÉCNICA E PREÇO. OBRIGATORIEDADE PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS

Inteligência do parágrafo 2º do art. 37 da Lei Federal n.º 14.133/2021 – Lei Nacional de Licitações e Contratos Administrativos.

Em decorrência da derrubada, pelo Congresso Nacional, do veto presidencial, retornou ao direito positivo a relevante regra de julgamento por melhor técnica ou por técnica e preço para licitações vinculadas a objetos tecnicamente complexos, merecedores de mais acuro na escolha do contratado pela Administração.

Tal disposição legal da Lei Federal n.º 14.133/2021, agora consagrada no ordenamento jurídico licitacional, sempre foi matéria controversa nas legislações dos últimos 50 anos (em especial no Decreto-Lei n.º 200/1967, no Decreto-Lei n.º 2.300/1986 e na Lei Federal n.º 8.666/1993), bem como na Doutrina e nos Tribunais.

Finalmente, agora passamos a ter o regramento adequado e mais preciso nas contratações de serviços técnicos especializados e de natureza predominantemente intelectual.

Vejamos as normais legais incidentes:

Art.37. O julgamento por melhor técnica ou por técnica e preço deverá ser realizado por:

[…]

§ 2º Ressalvados os casos de inexigibilidade de licitação, na licitação para contratação dos serviços técnicos especializados de natureza predominantemente intelectual previstos nas alíneas “a”, “d” e “h” do inciso XVIII do caput do art. 6º desta Lei cujo valor estimado da contratação seja superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), o julgamento será por: I – melhor técnica; ou II – técnica e preço, na proporção de 70% (setenta por cento) de valoração da proposta técnica.

O artigo 6º, inciso XVIII, alíneas “a”, “d” e “h”, da Lei Federal n.º 14.133/2021, Nova Lei Geral de Licitações e Contratos Públicos, complementa o parágrafo 2º do artigo 37 acima mencionado, definindo os serviços técnicos especializados de natureza predominantemente intelectual contemplados pelo dispositivo. Confira-se:

Art. 6º Para os fins desta Lei, consideram-se:

[…]

XVIII – serviços técnicos especializados de natureza predominantemente intelectual: aqueles realizados em trabalhos relativos a:

a) estudos técnicos, planejamentos, projetos básicos e projetos executivos;

[…]

d) fiscalização, supervisão e gerenciamento de obras e serviços;

[…]

h) controles de qualidade e tecnológico, análises, testes e ensaios de campo e laboratoriais, instrumentação e monitoramento de parâmetros específicos de obras e do meio ambiente e demais serviços de engenharia que se enquadrem na definição deste inciso;

Tenha-se em mente que o valor estimado da contratação deve ser superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil Reais). Essa condição é dada pelo artigo 37, parágrafo 2º, da Lei Federal n.º 14.133/2021, já citado mais acima.

O comando legal, ao determinar que “o julgamento será por…”, retirou qualquer condicionalidade ou indeterminação da norma, ceifando, assim, qualquer interpretação que possa levar a serem tais objetos licitados pelo critério raso de menor preço. Não haverá mais controvérsia nessa matéria enquanto vigorar a legislação atual, nesse aspecto hialino que permeia a derrubada do veto.

Observa-se, ainda, que, na pontuação técnica, deverá ser considerado o desempenho pretérito do contratado, caso presentes as condições e requisitos do art. 37. No caso, o julgamento será por: “I – melhor técnica; ou II – técnica e preço, na proporção de 70% (setenta por cento) de valoração da proposta técnica.” (art. 37, § 2º).

Gize-se que os critérios técnicos de julgamento são os modos pelos quais os fatores de avaliação do licitante serão sopesados e medidos. Esse conjunto deve estar inteiramente assentado no ato convocatório, de sorte que a tarefa do Agente Julgador será de aplicá-lo objetivamente a cada proposta. A combinação entre tipos, fatores e critérios oferece uma gama infinita de possibilidades (pesos de tópicos da proposta).

Assim, trata-se de competência explícita do ente licitador, pela qual o poder discricionário por vezes se confunde com a conveniência e a oportunidade. Portanto, as exigências quanto à capacitação técnica dos licitantes devem ser estabelecidas em cada caso, levando-se em conta a pertinência e a compatibilidade com o objeto, podendo variar em função do grau de complexidade da contratação pretendida.

Sem dúvida, o novo dispositivo defluente da revogação do veto representa um relevante avanço legislativo, o qual valorizará e qualificará essas contratações, sem os impasses que antes as dominavam. Afastam-se os aventureiros desse mercado.

Portanto, os objetos elencados na norma devem ser, doravante, obrigatoriamente licitados pelos critérios de julgamento “melhor técnica” ou “técnica e preço”. Valoriza-se, assim, a qualidade da contratação para esses objetos complexos e de singularidades reconhecidas.

Relevante, no meu sentir, esse avanço legislativo, que qualificará as contratações administrativas, e, decorrentemente, a função do Poder Público de buscar as melhores soluções (ao preço justo) às demandas da sociedade.

GIOVANI GAZEN

OAB/RS 18.611

Autor: Dr. Giovani Gazen

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.