Em reunião no SICEPOT-RS, novo presidente da CBIC apresenta as metas do triênio 2023-2026

Em reunião com associados do SICEPOT-RS, o novo presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), engenheiro civil Renato Correia, eleito em 11 de maio, apresentou as prioridades de sua gestão para o próximo triênio (2023-2026), com destaque para a atuação da entidade em nível legislativo.

Vice-presidente e representante da Região Sul da CBIC, o presidente do SICEPOT-RS Rafael Sacchi fez uma rápida introdução sobre a trajetória do ex-presidente José Carlos Martins, hoje presidente do Conselho Consultivo da CBIC depois de nove anos de mandato.

Sacchi deu ênfase ao que definiu como um ciclo vitorioso para a indústria da construção, no qual o setor de infraestrutura foi devidamente reconhecido com a criação de uma comissão, em que  trata de questões altamente relevantes, não somente em termos regulatórios, mas também de investimentos, licitações e de um planejamento estratégico a fim de promover o desenvolvimento econômico e social do país. “Com Correia a CBIC vai ocupar novamente um papel  importante como a locomotiva do setor da construção civil e da infraestrutura do país”, afirmou.

Correia iniciou sua apresentação mencionando a atuação da CBIC junto ao parlamento. Afirmou  que  Câmara dispõe hoje de uma estrutura consolidada capaz de defender as causas de seus associados junto ao Congresso Nacional. Como exemplo, ele citou o café da manhã realizado em 23 de março, em Brasília, quando a entidade reuniu cerca de 100 parlamentares na apresentação das principais propostas da indústria da construção no atual período legislativo.

 “Temos hoje uma metodologia de comunicação e alinhamento para resolver os problemas estruturais do setor”, afirmou Correia, acrescentando  que tramitam no Congresso mais de 40 mil projetos de lei, dos quais 3 mil estão sendo acompanhados pela CBIC.

Correia, que pretende conduzir sua gestão com foco no planejamento estratégico adotado nos últimos anos pela entidade, listou ainda alguns dos desafios a serem enfrentados pelo setor, como digitalização, produtividade, falta de mão de obra, entres outros. “Temos de ter margem porque a mão de obra vai subir”, disse Correia que qualificou a informalidade como o  “ladrão da mão  de obra”.

A sustentabilidade é hoje outro tema importante no setor, observou o novo titular da CBIC ao citar o conceito ESG  (Environmental, Social and Governance) que  ganha cada vez mais força no mundo dos negócios. “Precisamos seguir esses atributos porque com a sustentabilidade você melhora a sua imagem perante a sociedade”, afirmou Correia depois de lembrar que a CBIC lançou cartilha sobre o assunto em documento produzido pela Fundação Dom Cabral.

No encerramento, o ex-presidente José Carlos Martins fez uma explanação da reforma tributária que depois de aprovada pela Câmara dos Deputados deverá passar ainda pelo Senado antes a sanção pela Presidência da República.

Antes de ocupar a vice-presidência do Centro-Oeste da CBIC, Renato Correia, 57 anos, foi vice-presidente e presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) e presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social e Sustentável (Codese) de Goiânia, quando implantou o programa O Futuro da Minha Cidade da CBIC.