Costella promete solução para o reequilíbrio dos contratos, diante da elevação nos preços dos insumos

Em reunião-almoço do SICEPOT-RS, na segunda-feira (21/03), o secretário estadual de Logística e Transportes, Juvir Costella, prometeu uma solução no sentido de reequilibrar os contratos com as empresas do setor da construção pesada, diante de uma forte elevação nos preços dos insumos, o que põe em risco a continuidade das obras.

Essa realidade se intensificou desde o início da pandemia, quando, além do material betuminoso, produtos como o cimento, o ferro e agregados, além do diesel, subiram de forma expressiva e impactaram os contratos de obras que são reajustados anualmente.

Rafael Sacchi, presidente do SICEPOT-RS, informou que a entidade deverá construir um diálogo com sugestões para a solução do entrave. “Hoje, os preços que estão sendo praticados pelo poder público estão muito abaixo dos custos das empresas e isso pode inviabilizar a continuidade das obras”.

Para Sacchi, o risco de paralisação das obras é muito forte. Todavia, o setor acredita numa solução em curto prazo de modo a não prejudicar o plano de obras do governo do estado que vem fazendo grandes investimentos na infraestrutura gaúcha.

Em sua apresentação, Costella lembrou que o plano de investimentos que fazem parte do Programa Avançar 2021-2022 é o maior dos últimos oito anos somados e deve alcançar um total de R$ 1,6 bilhão.

De junho de 2021 até janeiro de 2022, foram mais de R$ 750 milhões em investimento.  Esse número representa cerca de 60% do total inicialmente anunciado pelo governador Eduardo Leite em junho, que foi de R$ 1,3 bilhão. Em 25 de fevereiro, foi anunciado um reforço de R$ 371 milhões, o que totaliza mais de R$ 1,6 bilhão destinado a obras e projetos no setor.  Além disso, há cerca de R$ 550 milhões a serem aplicados da primeira etapa do programa.

Apesar da entrega da duplicação, a ERS-118 continua recebendo melhorias. Devido a sua importância para o estado, trata-se de um projeto em constante evolução. Está sendo investidos R$ 121 milhões em passarelas para pedestres, uma nova interseção (viaduto com trincheira) no entroncamento com a ERS-030 (em Gravataí) e um projeto de iluminação do trecho duplicado.

Na segunda etapa do plano de obras do Avançar, também estão sendo destinados R$ 30 milhões para a restauração de 20 km da RSC-101 (Palmares do Sul – Tavares) e R$ 21,3 milhões para a implantação de 11 km de terceiras faixas na RSC-153 (Tio Hugo – Passo Fundo).

 Somados, os recursos das etapas 1 e 2 do Plano de Obras do programa Avançar estão distribuídos da seguinte forma:

– 28 acessos municipais (205 km): R$ 328,25 milhões

– 22 ligações regionais (216 km): R$ 574,26 milhões

– 39 projetos executivos: R$ 86,14 milhões

– 149 obras de recuperação de rodovias (3.244 km): R$ 542,77 milhões – 44 convênios com municípios: R$ 133 milhões

Autor: Jornalista Milton Wells