Construtora Planaterra entrega ao Dnit duplicação de 15 quilômetros da BR-116/RS no município de Camaquã

Foto/Divulgação Dnit

A Planaterra –Terraplenagem e Pavimentação Ltda., de Chapecó (SC), acaba de concluir  os primeiros 15 quilômetros da duplicação da BR-116/RS, no município de Camaquã, entre o km 402 e o km 417,4. No segmento foram executados terraplenagem, drenagem superficial, drenagem profunda e subsuperficial, obras de arte correntes, drenagem urbana, pavimentação da pista duplicada, obras complementares, projeto ambiental e de paisagismo, além da implantação do projeto de iluminação. Ao todo foi investido pelo governo federal por meio do Dnit um total de R$ 56,1 milhões.

Com esta entrega, o Ministério dos Transportes, por meio do Dnit, já duplicou 163,2 quilômetros dos 211,2 quilômetros do empreendimento, entre Guaíba e Pelotas. Nos lotes 1 e 2 – executados pelo Exército Brasileiro – já são 37,4 quilômetros de pistas novas; no lote 3 os usuários contam com 20,2 quilômetros duplicados; no lote 4 – totalmente concluído – estão em operação 23,9 quilômetros; o lote 6 conta com um segmento de 16,2 quilômetros concluídos; no lote 7 o DNIT entregou 21,3 quilômetros; no lote 8 foram liberados ao tráfego 7,8 quilômetros; e, por fim, o lote 9 está com 21 quilômetros de novas pistas. Ainda está em execução o lote 10, que prevê a construção da ponte sobre o rio Camaquã, em Cristal, e o viaduto da Pompéia, em Camaquã.

Previsão orçamentária do Dnit no RS é de R$ 1,8 bilhão

No total, até o momento, foi investido na obra aproximadamente R$ 1,5 bilhão. Para concluir a duplicação são necessários mais R$ 600 milhões, dos quais R$ 234 milhões estão garantidos pelo governo federal para ser aplicado ao longo de 2023.

E os investimentos no Rio Grande do Sul não param, diz a nota distribuída pelo Dnit. A previsão orçamentária para este ano é de mais de R$ 1,8 bilhão, dos quais R$ 1 bilhão destinado às obras de construção e R$ 800 milhões para os contratos de manutenção/conservação das rodovias. No comparativo, em 2022 foram investidos nas rodovias gaúchas sob administração do Dnit pouco mais de R$ 554 milhões : R$ 201 milhões em construção e R$ 353 milhões em serviços de manutenção.