Acessos municipais em execução pelo Daer reúnem um total de R$ 175,9 milhões

Cerca de R$ 175,9 milhões estão sendo aplicados pelo Daer, neste ano, na construção de 13 acessos municipais, que fazem parte do Plano de Obras do governo do estado, lançado em junho do ano passado.  Outros 14 acessos estão  passando por ajustes contratuais ou sendo encaminhados para licitação.

Além disso, três acessos serão pavimentados por meio de convênios com os municípios: Barra do Rio Azul, Itatiba do Sul e Nova Ramada.

Ainda de acordo com informações da autarquia restarão 20 acessos municipais a serem executados após a atual administração, o que corresponde a cerca de 30 % do número de municípios sem acesso no início da gestão em curso, em janeiro de 2019. Essas obras restantes estão passando por atualização de projeto, no sentido de deixá-los aptos a serem licitados e executados, com a liberação dos recursos necessários.

De acordo com estudos do Banco Mundial, as pequenas cidades veem seus índices populacionais reduzirem-se consideravelmente ano após ano, pois as vagas abertas pelas empresas que se instalam nos municípios com asfalto atraem seus jovens, que buscam melhores condições de vida.

Estudo da Famurs mostra que o programa estadual de ligação dos acessos asfálticos permite aos municípios o desenvolvimento, a expansão de seus potenciais de comércio, indústria, turismo, atividade primária, aumentando a escoação da produção e, por conseguinte, maior qualidade de vida aos seus moradores.

 Entre os efeitos de estradas não pavimentadas, a entidade apontou a depreciação de equipamentos, o aumento no tempo de viagem, o custo maior no valor do frete e, por consequência, nos produtos consumidos.

Já a pavimentação dos acessos asfálticos ligando as principais rodovias aos municípios representa um maior equilíbrio na cadeia produtiva, maior competitividade, gerando assim ganhos econômicos aos municípios. Falta  fazer, todavia, a integração das regiões o que passa impreterivelmente por investimentos nos diversos modais de transporte e logística (rodoviário, ferroviário, hidroviário e aeroviário), e respectivas integrações, agrega a entidade.


Acessos em obras (13):

– Cerrito (ERS-706): R$ 4,8 milhões
– Coqueiro Baixo (ERS-425): R$ 11,4 milhões (asfalto concluído)
– Lagoa Bonita do Sul (ERS-400): R$ 9,9 milhões
– Rolador (ERS-165): R$ 8 milhões
– Ponte Preta (RSC-480): R$ 7,6 milhões
– Ivorá-São João do Polêsine (ERS-348): R$ 31,5 milhões
– Pinheirinho do Vale (ERS-528): R$ 19,8 milhões
– Capão Bonito do Sul (ERS-461): R$ 11,6 milhões
– Montauri (ERS-447): R$ 15,8 milhões
– São Martinho da Serra (ERS-516): R$ 13,5 milhões
– Senador Salgado Filho (VRS-867): R$ 22,8 milhões
– Travesseiro (VRS-811): R$ 13,2 milhões
– Capitão-Arroio do Meio (R$ 6 milhões – convênio com os municípios)

Os  14 acessos que estão passando por ajustes contratuais ou sendo encaminhados para licitação:

– Alegria (ERS-520)
– Ametista do Sul (ERS-591)
– Benjamin Constant do Sul (ERS-487)
– Centenário (ERS-477)
– Cerro Grande do Sul (ERS-715)
– Cruzaltense (ERS-483)
– Mariano Moro (ERS-426)
– Novo Tiradentes (ERS-325)
– Pedras Altas (ERS-608)
– Pinhal Grande (ERS-149)
– Pirapó (ERS-550): projeto em elaboração
– São José das Missões (BRS-386)
– São José do Inhacorá (ponte na RSC-472)
– São Pedro das Missões (BRS-386)